sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Zebra-das-planícies (Equus quagga burchellii)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Zebra-das planícies, da espécie Equus quagga, subespécie Equus quagga burchellii Gray. Pertence à: Classe: Mammalia; Ordem: Perissodactyla; Família: Equidae; Género: Equus; Subgénero: Hippotigris.
Tem o seu habitat natural nas savanas do Leste e Sul de África;
Alimenta-se de ervas altas, folhas e rebentos;
Reprodução: Cada macho adulto (garanhão) domina um grupo de fêmeas que fecunda e do qual fazem parte as crias. A gestação dura doze meses, findos os quais, as fêmeas parem uma só cria;
Estatuto de Conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União para a Conservação da Natureza.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Avestruz


Legenda:
Foto 1: Fêmeas de avestruz;
Foto 2: Avestruz macho.
Existe, como se vê pelas imagens, evidente dimorfismo sexual.
A avestruz (nome científico: Struthio camelus L.) é a maior ave actualmente existente e não voa, mas é boa corredora. Pertence à: Classe: Aves; Ordem: Struthioniformes; Família: Struthionidae; Género: Struthio.
Habitat: Esta ave tem o seu habitat natural no Leste e no Sul do continente africano, vivendo em zonas secas e semi-desérticas;
Alimentação: A avestruz é omnívora, incluindo na sua dieta, pequenos vertebrados e invertebrados;
Reprodução: As fêmeas põem os ovos num único ninho comunitário que é um simples buraco no chão, com 30 a 60 cm de profundidade, podendo o ninho pode conter entre 15 a 60 ovos, pesando cada um cerca de 1 quilo e 400 gramas. A incubação dura entre 35 a 45 dias.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União para a Conservação da Natureza. Note-se, aliás, que já existem populações desta espécie domesticadas ou semi-domesticadas.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Cabra-de-leque (Antidorcas marsupialis)

A Cabra-de-leque (nome científico: Antidorcas marsupialis Zimmermann) uma pequena gazela de cor castanha e branca que pertence à Classe: Mammalia; Ordem: Artiodactyla; Família: Bovidae; Subfamília: Antilopinae; Género: Antidorcas. Habitat: Esta espécie tem o seu habitat natural nas savanas e planícies semi-desérticas da África austral.
Alimenta-se de ervas, folhas, rebentos de plantas e arbustos;
Reprodução: Estes animais atingem a maturidade sexual ao fim de um ano e meio de vida. Na época da reprodução, os machos dominantes formam haréns no seu território. A gestação dura à volta de 5 meses e meio, período, findo o qual, nasce uma cria.
Estatuto de conservação da espécie: Embora esta espécie já tenha sido uma das populações de animais selvagens mais numerosas de África, contando-se por vários milhões o número indivíduos, actualmente, devido à caça que lhe é movida e ao aumento das áreas de cultivo, tem o estatuto de "dependente de medidas de conservação", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar a imagem, clicando sobre ela)

domingo, 26 de outubro de 2008

Garça-branca-pequena (Egretta garzetta)



Imagens de uma Garça-branca-pequena (Egretta garzetta L.) captadas na Lagoa de Santo André. Pertence à Classe: Aves; Ordem: Ciconiiformes; Família: Ardeidae; Género: Egretta; Espécie: Egretta garzetta; Subespécie: Egretta garzetta garzetta. São conhecidas duas subespécies desta ave: a da imagem e a Egretta garzetta nigripes.
Habitat: A subespécie aqui representada tem o seu habitat natural nas zonas húmidas das regiões temperadas da Europa, África e Ásia;
Alimentação: Estas aves alimentam-se de pequenos animais, incluindo peixes, anfíbios, crustáceos e insectos;
Reprodução: Nidificam em colónias, fazendo os ninhos em árvores e arbustos na proximidade da água. A postura varia entre 3 e 5 ovos e a incubação vai de 21 a 25 dias;
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar as imagens, clicando sobre elas)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Gnu-de-cauda-branca (Connochaetes gnou)


(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
O Gnu-de-cauda-branca, também designado por Boi-cavalo, ou Gnu-negro (Connochaetes gnou Zimmermann) é uma das duas espécies de Gnu. Pertence à Classe: Mammalia; Ordem: Artiodactyla; Família: Bovidae; Subfamília: Alcelaphinae; Género: Connochaetes.
Habitat: A espécie tem o seu habitat natural nas savanas e pradarias do Sul e Leste de África;
Alimentação: Esta espécie consome, sobretudo, folhas, caules, raízes e tubérculos de vegetação rasteira;
Reprodução: A época de reprodução coincide com final da estação das chuvas. Os machos dominantes defendem o território onde têm o seu harém constituído por um número variável de fêmeas que são acompanhadas pelas crias. O período de gestação dura entre oito meses a oito meses e meio, findo o qual é dada à luz uma única cria.
Estatuto de conservação da espécie: A pesar de ter estado à beira da extinção e do facto de ser uma presa habitual dos leões e de outros predadores e de ser também procurado por caçadores para aproveitamento da carne e do couro, a espécie goza actualmente, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, do estatuto "Pouco preocupante", graças ao facto de ter sido reintroduzida com êxito em áreas protegidas privadas e em reservas naturais do Lesoto, Suazilândia, África do Sul e Namíbia.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Flamingo-pequeno (Phoenicopterus minor)




O Flamingo-pequeno (Phoenicopterus minor Geoffroy Saint-Hilaire) é o flamingo mais pequeno e também o mais numeroso, distinguindo-se do Flamingo-comum, sobretudo, pelo bico que é mais escuro e quase preto. Pertence à Classe: Aves; Ordem: Phoenicopteriformes; Família: Phoenicopteridae; Género: Phoenicopterus.
Habitat: O Flamingo-pequeno tem o seu habitat natural em África, em particular no Grande Vale do Rift existindo também algumas populações na Índia e no Paquistão. Na Europa e mesmo em Portugal têm sido reportados alguns avistamentos, embora haja dúvidas sobre se as aves avistadas são genuinamente selvagens. Em África vivem em lagos salgados e alcalinos, no interior do continente e em lagoas costeiras.
A sua alimentação é à base de algas microscópicas (Spirulina plantensis) que filtram através do seu bico que tem conformação apropriada para o efeito.
Reprodução: Estas aves nidificam em colónias, em lagos de águas pouco profundas, onde constroem ninhos de lama, onde é depositado e incubado um único ovo.
Estatuto de conservação da espécie: "Quase ameaçada", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar as imagens, clicando sobre elas)

Galinha-pintada (Numida meleagris)




Estas aves são designadas pelos nomes comuns de Pintada, Galinha-pintada, Galinha-d'angola, galinha-do-mato, e Fraca, entre outros. Nome científico: Numida meleagris L. Pertence à Classe: Aves; Ordem: Galliformes; Família: Numididae; Género: Numida: Espécie:
Numida meleagris, espécie que se encontra subdivida em nove subespécies.
Habitat: Esta espécie tem o seu habitat natural na África Subsariana, onde vive na orla de florestas e em savanas e em campos de cultivo, em zonas onde haja acesso à água. Também já existem populações que vivem em regime domesticado.
A sua alimentação baseia-se em produtos vegetais (ervas, bolbos, flores, frutos e sementes) incluindo-se também, na sua dieta, pequenos invertebrados, tais como gafanhotos e vermes.
Reprodução: Os ninhos são simplesmente escavados no solo; cada postura varia entre 6 a 12 ovos e o período de incubação anda entre os 24 e os 28 dias.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar as imagens, clicando sobre elas)

Íbis-sagrada (Threskiornis aethiopicus)



A Íbis-sagrada (nome científico: Threskiornis aethiopicus Latham) pertence à Classe: Aves; Ordem: Ciconiiformes; Família: Threskiornithidae; Subfamília: Threskiornithinae; Género: Threskiornis.
A sua designação, em linguagem comum, deriva do facto de esta ave ser considerada, no antigo Egipto, como um animal sagrado: O deus Tot era representado com uma cabeça de Íbis.
Habitat: Esta espécie tem o seu habitat natural na África Subsariana, em Madagáscar e no Iraque, tendo, no entanto, sido introduzida em vários países do Sul da Europa e vive nas margens de zonas húmidas, pântanos, lagos, lagoas e em ilhas costeiras.
Alimentação: Estas aves alimentam-se de rãs, vermes, peixes e répteis, incluindo também na sua dieta insectos e ovos.
Reprodução: Os seus ninhos são feitos na vegetação; a postura anda à volta de 3 ovos e a incubação dura cerca de 28 dias.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar as imagens, clicando sobre elas)

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Boi (Bos taurus) de raça Watusi já refeito da peleja

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Já refeito da peleja documentada no "post" anterior, vemos aqui a imagem de um exemplar de Boi da raça Watusi, raça que se distingue pela configuração e beleza das suas hastes. Esta raça é originária do Leste de África, (Uganda, Ruanda e Quénia) mas encontra-se actualmente espalhada por diversos países da Europa e da América. Tal como os demais animais da espécie Bos taurus L. o boi (ou vaca) de raça Watusi pertence à Classe: Mammalia; Ordem: Artiodactyla; Família: Bovidae; Subfamília:Bovinae; Género: Bos.
Estatuto de conservação da espécie: "Domesticado", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Bois em disputa acesa

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Como contraponto ao "post" anterior, temos neste a prova de que entre os animais nem tudo é "amor". Na imagem dois toiros (Bos taurus L.) da raça Watusi, em disputa acesa, disputa que mete cornos e tudo ! A imagem, à semelhança das do "post" anterior, foi captada no Badoca Park.

A cópula dos Lamas




Lamas (animal já referenciado aqui) em cópula prolongada. E calma, como se deduz pela imagens recolhidas no Badoca Park (Santiago do Cacém).
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

Cegonha-de-bico-amarelo (Mycteria ibis)


As Cegonhas-de-bico-amarelo (Mycteria ibis L.) são aves pertencentes à Ordem: Ciconiiformes; Família: Ciconiidae; Género: Mycteria.
Habitat: Têm o seu habitat natural em África, ao Sul do Saará e em Madagascar, vivendo em pântanos, lagos, lagoas e outros reservatórios de água doce.
Alimentação: Alimentam-se de presas que encontram nas águas onde vivem, incluindo invertebrados, peixes e anfíbios.
Reprodução: O ninho é construído nos ramos das árvores, não indo cada postura além de 3 ovos. A incubação dura cerca de 30 dias.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
(Ampliar as imagens, clicando sobre elas)

domingo, 19 de outubro de 2008

Aves aquáticas - Guincho-comum

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

O Guincho-comum [Chroicocephalus ridibundus L. (sinónimo: Larus ridibundus) é uma gaivota de pequeno tamanho, relativamente abundante em Portugal, sobretudo nos meses de Junho a Março. Pertence à Classe: Aves; Ordem: Charadriiformes; Família: Laridae; Género: Chroicocephalus.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

sábado, 18 de outubro de 2008

Garça-real


(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

Imagens de Garça-real ( Ardea cinerea L.). A Garça-real é a maior das garças avistadas em Portugal, onde pode ser encontrada em zonas húmidas (estuários, lagoas e barragens do interior). Pertence à Classe: Aves; Ordem: Ciconiiformes; Família: Ardeidae; Género: Ardea.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Girafa-de-rothschild

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

O zoo de "O Biólogo Amador" já contava com um animal da espécie Girafa (Giraffa camelopardalis) representante da subespécie Girafa-de-angola (Giraffa camelopardalis angolensis). Fica agora enriquecido com mais um exemplar, desta feita, pertencente à subespécie Girafa-de-rothschild (Giraffa camelopardalis rothschildi). Tal como a Girafa-de-angola, a Girafa-de-rothschild, pertence à Classe: Mammalia; Ordem: Artiodactyla; Família: Giraffidae; Género: Giraffa; Espécie: Giraffa camelopardalis.
Esta subespécie de Girafa tem o seu habitat principal no Uganda e no Quénia.

O Cavalo



(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

Imagens de Cavalos (nome científico de Equus caballus L.). O Cavalo pertence à Classe:Mammalia; Ordem: Perissodactyla; Família: Equidae; Género:Equus.
É conhecida a importância que este animal teve e ainda tem como meio de transporte e como animal de trabalho. Actualmente, no entanto, é particularmente importante o papel por ele desempenhado em diversos desportos e jogos, bem como no ensino e em provas de equitação.
Estatuto de conservação da espécie:"Domesticado"
Para mais informação e, designadamente sobre a evolução deste animal, sugere-se a consulta deste sítio.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Pato-ferrugíneo em Almada




Já foi publicada aqui neste blogue uma imagem de um macho da espécie Pato-ferrugíneo (Tadorna ferruginea Pallas), bem como alguma informação sobre a espécie. Tendo encontrado, ontem, uma fêmea da mesma espécie, a passear no Parque da Paz, em Almada, não quis deixar de partilhar com os visitantes deste blogue algumas imagens desta bela ave.
(As imagens poderão ser ampliadas, clicando sobre elas)

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Búteo-de-harris

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Esta ave de rapina, com o nome científico de Parabuteo unicinctus Temminck, é designada, em linguagem comum, pelos nomes de Búteo-de-harris e gavião-asa-de-telha. Em inglês, dá pelo nome de Harris's Hawk. Pertence à Classe: Aves; Ordem: Falconiformes; Família: Accipitridae; Género: Parabuteo.
Originária do Sul dos Estados Unidos, América Central e do Sul, tem o seu habitat natural em zonas desérticas e semi-desérticas e alimenta-se de pequenos mamíferos, em especial de coelhos, lebres e ratos.
A postura vai de 2 a 4 ovos e o período de incubação dura à volta de 35 dias. Esta espécie, ao contrário do que acontece com a generalidade das aves de rapina, vive em bandos, o que facilita a caça das presas que são divididas pelos participantes. A ave é utilizada em falcoaria.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

sábado, 11 de outubro de 2008

Pardal juvenil

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Juvenil da espécie pardal doméstico ( passer domesticus L.), acabado de sair do ninho e ainda um tanto desconfiado face ao novo ambiente que o rodeia.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Saguim-de-face-branca

O Saguim-de-face branca ou Saguim-de-cara-branca (nome científico: Callithrix geoffroyi E. Geoffroy in Humboldt) tem o seu habitat no Sudeste brasileiro, na orla de florestas tropicais húmidas e florestas semicaducifólias. Pertence à Classe: Mammalia; Ordem: Primata; Família: Cebidae; Género:Callithrix.
Estatuto de conservação da espécie: "Vulnerável", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. Principal ameaça: Destruição do habitat da espécie.
Mais informação: aqui.
(A imagem, captada no Jardim Zoológico de Lisboa, pode ser ampliada, clicando sobre ela)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Filhotes de andorinha

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
Quatro Filhotes de Andorinha, da espécie hirundo rustica L., pousados nos ramos de um salgueiro-chorão, enquanto aguardam pelos progenitores que, em breve, lhes trarão alimento.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Rinoceronte-branco

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

O Rinoceronte-branco (nome científico: Ceratotherium simum Burchell), é o maior animal terrestre, não contando o elefante, tendo cerca de 2 metros de altura, 4 metros de comprimento e 4 toneladas de peso. Pertence à Classe: Mammalia; Infraclasse: Placentalia; Ordem:Perissodactyla; Família: Rhinocerotidae; Género: Ceratotherium; Espécie: Ceratotherium simium. Esta espécie está subdivida em duas subespécies: Ceratotherium simum simun e Ceratotherium simum cottoni.
O animal da imagem pertence à subespécie Ceratotherium simum simun que foi durante algum tempo considerada extinta. A sua sobrevivência é actualmente preservada em zonas protegidas. Estatuto de conservação da espécie: "Quase ameaçada", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. A espécie é procurada por caçadores para obtenção do seu corno que é comercializado, pois tem grande procura e é também ameaçada pela destruição do seu habitat.
Mais informação pode ser encontrada aqui.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Cisne-negro

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

Exemplar de Cisne-negro (nome científico:Cygnus atratus Latham). Pertence à Classe das Aves; Ordem: Anseriformes; Família: Anatidae; Subfamília: Anserinae; Género: Cygnus. Características: A plumagem desta ave é negra, excepto nas pontas das rémiges que são brancas, embora pouco visíveis; o bico é vermelho excepto na extremidade que é branca. As asas chegam a ter 2 metros de envergadura;
Habitat: Esta ave é originária da Austrália, onde tem o seu habitat natural, existindo também populações em estado selvagem na Nova Zelândia onde a ave foi introduzida. Vive em lagos e lagoas de água doce, podendo em certas épocas ser avistada em zonas da costa;
Hábitos: É uma ave sedentária (não migra) e forma colónias. Alimenta-se, sobretudo, de vegetação aquática mas também pode ser vista a pastar nas margens. A espécie nidifica em grandes ninhos formados por vegetação construídos pelo casal, em lagoas ou lagos pouco profundos, ninhos que são utilizados de ano para ano e reparados e reconstruídos, se necessário.
Reprodução: A postura varia entre 5 a 6 ovos. O período de incubação pode ir até 40 dias. Poucas horas depois da eclosão, as crias abandonam o ninho seguindo os pais;
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.
A imagem foi captada no Jardim Zoológico de Lisboa.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O Leão

(1)

(2)

Nas imagens, uma Leoa (Foto 1) e um Leão (foto 2) da espécie Panthera leo L., (subespécie Panthera leo bleyenberghi) fotografados no Jardim Zoológico de Lisboa. O Leão pertence à Classe dos Mammalia; Ordem: Carnivora; Família:Felidae; Género: Panthera.
Características: Intitulado como "Rei dos animais", o leão é, em tamanho, o segundo maior da família dos felídeos, depois do tigre. Tem pelagem de tons amarelados, distinguindo-se o macho da fêmea pelo facto de aquele ser portador de uma juba à volta da cabeça e das espáduas.

Habitat: O seu habitat encontra-se actualmente reduzido a áreas de savana em África, a Sul do Saará, onde sobrevive sobretudo em zonas protegidas, em particular na África do Sul e na Tanzânia. Existe também um número reduzido de indivíduos na Floresta de Gir, no Noroeste da Índia, pertencentes à subespécie Panthera leo persica;

Hábitos: Os leões vivem em clãs de base familiar, formados por fêmeas ligadas por parentesco, sendo o grupo liderado por um ou dois machos, liderança que, todavia, por regra não vai além de três anos, sendo destronados por machos rivais. Os machos quando não estão na liderança de um destes grupos levam uma vida solitária e nómada, enquanto os clãs, pelo contrário se estabelecem em territórios que procuram defender de outros grupos. Os leões são carnívoros predadores, caçando em campo aberto, sendo mais activos durante a noite. A caçada está a cargo das fêmeas, encarregando-se os machos da defesa do território ocupado pelo clã. A sua dieta é constituída sobretudo por grandes mamíferos, como antílopes, zebras, búfalos e javalis, mas não recusam presas menores ou maiores (neste caso,quando encontram animais isolados) roubando também carcaças de animais mortos por outros predadores;

Reprodução: O acasalamento pode ter lugar em qualquer época do ano, dependendo da receptividade das fêmeas. O período de gestação anda à volta dos 105 dias, após os quais nasce uma ninhada que pode ir de uma a seis crias que são amamentadas cerca de seis meses;
Estatuto de conservação da espécie: "Vulnerável", segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. As ameaças que impendem sobre esta espécie derivam da destruição do seu habitat e da caça que lhe é movida pelos caçadores de troféus.
Pode encontrar-se mais informação: aqui e aqui.

(Para ampliar, clicar sobre as imagens)