domingo, 26 de maio de 2013

Melro-azul (Monticola solitarius)





Melro-azul *( Monticola solitarius L.)
Ave da família Muscicapidae, residente e nidificante em Portugal. Embora, aparentemente, pouco comum (foi a primeira vez que o avistei) distribui-se, conquanto de forma irregular, por todo o território do Continente. Frequenta sobretudo zonas rochosas, escarpas junto de cursos de água, pedreiras abandonadas e vários de tipos de construções, incluindo castelos.
Nidifica em Portugal a partir de Abril, em fendas de rochas e em buracos de muros e edifícios em ruínas ou votados ao abandono. Em geral não cria mais que duas ninhadas em cada época de reprodução, época que, ao que parece, não irá além do mês de Julho. Cada postura varia entre 4 e 5 ovos. A incubação dura entre 12 e 15 dias e as crias abandonam o ninho cerca de 18 dias após a eclosão.
Alimenta-se sobretudo de invertebrados, ocasionalmente, de algum pequeno réptil e, durante o Outono e o Inverno, também de matéria vegetal, designadamente bagas.
*Outros nomes comuns: Melro-fragueiro; Afivelro; Melifela; Solitário.
Estatuto de conservação da espécie: "pouco preocupante".
Nota: na imagem, um macho. Ao contrário do macho que tem uma plumagem azulada, mais escura nas asas, a fêmea tem uma plumagem acastanhada com manchas brancas.
(Local e data: castelo de Alegrete; 24 - Maio - 2013)
(Clicando nas imagens, amplia)

quarta-feira, 22 de maio de 2013

terça-feira, 21 de maio de 2013

sábado, 18 de maio de 2013

Apressadas a sair do ninho


 



Apressadas, porque estas (3) crias de Toutinegra-de-barrete, ou Toutinegra-de-barrete-preto (Sylvia atricapilla L.)  fotografadas hoje no parque urbano de Almada, ainda nem sequer eram capazes de voar. Preocupações acrescidas para os progenitores, como está bem de ver. Lá andavam eles à volta dos filhotes indefesos, em voos tão rápidos que mal permitiram identificar a espécie.
(Clicando nas imagens, amplia)