sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Periquito-rabijunco (Psittacula krameri)

(Periquito-rabijunco, macho)


O Periquito-rabijunco ou Periquito-de-colar, nome por que também designado vulgarmente, com o nome científico de Psittacula krameri Scopoli, é uma espécie não autóctone, originária das zonas tropicais da África e Ásia, mas que actualmente reside e nidifica em Portugal, em liberdade, tendo a respectiva população conhecido algum incremento no nosso país, desde a sua introdução, nas últimas décadas do século passado.
Classificação: Ordem: Psittaciformes; Família: Psittacidae; Género: Psittacula; Espécie: Psittacula krameri.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante"
Local e data da captação da imagem : Lisboa; 27-01-2009.
(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Rabirruivo-preto (Phoenicurus ochruros) (Fêmea)




Fêmea de Rabirruivo-comum ou Rabirruivo-preto (Phoenicurus ochruros Gmelin.)

O Rabirruivo-comum é uma ave residente e nidificante em Portugal, distribuindo-se sobretudo pelo território a norte do Tejo, alargando-se, no entanto, a sua distribuição a todo o país, com a chegada de invernantes, durante o Outono e o Inverno.
Classificação: O rabirruivo-comum pertence à Ordem: Passeriformes; Família: Muscicapidae; Género: Phoenicurus; Espécie: Phoenicurus ochruros.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data da obtenção das imagens: Vila da Sertã, 22-12-2008.
(Para ampliar, clicar nas imagens)

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Toutinegra-de-barrete (Sylvia atricapilla) (Fêmea)


(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

A fêmea da ave da espécie Toutinegra-de-barrete (Sylvia atricapilla, L.) distingue-se do macho (ver aqui) pelo facto de possuir um barrete arruivado, ao contrário do macho, que tem um barrete preto.
(Local e data da captação das imagens: Almada - Parque da Paz; 26-01-2009)

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Ganso-do-egipto (Alopochen aegyptiacus)

(1)

(2)

Embora em nenhum dos vários sítios que consultei (e designadamente, aqui, aqui e no Atlas das aves nidificantes em Portugal) se refira a existência em Portugal de populações da espécie Ganso-do-egipto (Alopochen aegyptiacus L.), certo é que há pelo menos um núcleo de aves desta espécie, em estado selvagem e com arraiais assentes no Parque da Paz em Almada, núcleo que tem vindo a crescer, não sei se por via de reprodução, se pela chegada de novos indivíduos.
Classificação científica: Ordem: Anseriformes; Família: Anatidae; Género: Alopochen; Espécie: Alopochen aegyptiacus.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante.
Local e data da captação das imagens: Almada - Parque da Paz; 12-12-2008 (foto 1); 21-7-2008 (foto 2).
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

domingo, 25 de janeiro de 2009

Fêmea de Pato-real (Anas platyrhynchos)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)


Embora não tão vistosa quanto o macho (ver aqui) a fêmea de Pato-real (Anas platyrhynchos L.) não deixa de ser uma bela ave.
Local e data da captação da imagem : Almada - Parque da Paz; 21-07-2008

sábado, 24 de janeiro de 2009

Goraz (Nycticorax nycticorax)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

O Goraz (Nycticorax nycticorax L.) é uma ave residente e nidificante em Portugal (cfr. Atlas das aves nidificantes em Portugal) embora a sua população seja escassa, distribuindo-se apenas por alguns sítios delimitados, em zonas húmidas (Baixo Mondego, bacia do Tejo, estuário do Sado e Sousel).
É uma garça de pequeno porte classificada como pertencente à Ordem: Ciconiiformes; Família: Ardeidae; Género: Nycticorax; Espécie: Nycticorax nycticorax.
No Brasil, esta ave também é conhecida por mais de uma dezena de outros nomes: savacu, socó-dorminhoco, arapapá-de-bico-comprido, dorme-dorme, dorminhoco, garça-dorminhoca, guacuru, entre outros.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante";
Local e data da obtenção da imagem: Lisboa; 23.07.2008;

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Pega-rabilonga (Pica pica)



(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

A Pega-rabilonga ou Pega-rabuda (Pica pica L.) é uma ave residente e nidificante em Portugal (cfr. Altas das aves nidificantes em Portugal) sendo o Alto Alentejo a região onde é mais abundante, logo seguida pelo Centro e Norte do país.
Classificação: Pertence à Ordem: Passeriformes; Família: Corvidae; Género: Pica; Espécie: Pica pica.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data da obtenção das imagens: Juromenha (arredores); 15-12-2008.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Tordo-músico (Turdus philomelos)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
O Tordo-músico, também designado por Tordo-comum e Tordo-pinto (nome científico: Turdus philomelos Brehm) é uma ave residente e nidificante em Portugal, particularmente nas serras do norte do país (cfr. Atlas das aves nidificantes em Portugal). Durante a época fria, devido à chegada de muitas aves invernantes, a população desta espécie aumenta grandemente, distribuindo-se, nessa altura, por todo o território nacional. Está classificada como pertencente à Ordem: Passeriformes; Família: Turdidae; Género: Turdus; Espécie: Turdus philomelos.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data da obtenção da imagem: Almada - Parque da Paz; 06-01-2009.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Toutinegra-de-cabeça-preta (Sylvia melanocephala)

(Para ampliar, clicar sobre a imagem)
A Toutinegra-de-cabeça-preta, ou Toutinegra-dos-valados (Sylvia melanocephala Gmelin) (espécie representada na imagem por um macho) é, segundo o Atlas das aves nidificantes de Portugal, uma ave autóctone e nidificante em Portugal, distribuindo-se por todo o território nacional, embora mais abundante na metade sul do país. Está classificada como pertencente à Ordem: Passeriformes; Família: Sylviidae; Género: Sylvia; Espécie: Sylvia melanocephala.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data da captação da imagem: Troviscal - Sertã; 25-12-2008

domingo, 18 de janeiro de 2009

Toutinegra-de-barrete (Sylvia atricapilla)



(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

A Toutinegra-de-barrete, ou Toutinegra-de-barrete-preto (designada na Madeira apenas por Toutinegra e nos Açores por Avinagreira) com o nome científico de Sylvia atricapilla L. é uma ave residente e nidificante em Portugal (cfr. Atlas das aves nidificantes em Portugal) distribuindo-se por quase todo o território nacional, embora mostre preferência por locais mais sombrios e húmidos, sendo frequentemente avistada em parques e jardins públicos. Está classificada como pertencendo à Ordem: Passeriformes; Família: Sylviidae; Género: Sylvia; Espécie: Sylvia atricapilla.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data da obtenção das imagens: Almada - Parque da Paz; 12-01-2009.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Pato-real (Anas platyrhynchos)

Pato-real (Anas platyrhynchos L.) (macho)

O Pato-real é uma ave nidificante em Portugal (Cfr. Atlas das aves nidificantes em Portugal) e bastante abundante, sobretudo no Ribatejo e Alentejo. Pertence à Ordem: Anseriformes; Família: Anatidae; Género: Anas; Espécie: Anas platyrhynchos.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante"
Local e data da obtenção das imagens: Almada - Parque da Paz; 11-12-2008
(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Picanço-real (Lanius meridionalis)



(Para ampliar, clicar sobre a imagem)

O Picanço-real (Lanius meridionalis Temminck) é uma ave residente e nidificante em Portugal, sendo mais frequentemente observável no sul do país e no interior norte e centro. Encontra-se classificado como pertencente à Ordem: Passeriformes; Família: Laniidae; Género: Lanius; Espécie: Lanius meridionalis.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Proveniência e data das imagens: arredores de Estremoz; 16- 12-2008.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pisco-de-peito-ruivo (Erithacus rubecula)

(1)

(2)

(3)

O Pisco-de-peito-ruivo (nome científico: Erithacus rubecula L.) é uma ave muito pequena (12.5–14.0 cm de comprimento) bastante comum em Portugal, onde nidifica (Cfr. Atlas das aves nidificantes em Portugal - ed. ICNB e Assírio e Alvim, 2008), particularmente nas regiões a norte do Tejo e sobretudo durante o Outono e o Inverno, dado que nessas épocas se encontram também no nosso país aves que deslocam doutros países europeus para aqui invernarem. Esta ave é classificada como pertencendo à Ordem: Passeriformes; Família: Muscicapidae; Género: Erithacus; Espécie: Erithacus rubecula.
Nos Açores, esta ave é conhecida pelo nome de "Papoilo" e na Madeira, por "Papinho".
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Proveniência e data das imagens:
Foto 1: Almada - Parque da Paz; 11-12-2008;
Foto 2: Cacilhas, Almada - Fonte da Pipa; 05-12-2008;
Foto 3: Arredores de Montemor-o-Novo; 14-12-2008;
(Para ampliar,clicar sobre as imagens)

domingo, 11 de janeiro de 2009

Melro-preto (Turdus merula)


(Para ampliar,clicar sobre a imagem)

Já não é a primeira vez que carregamos imagens desta ave aqui no blogue. Todavia, a expressão (entre o precavido e o desconfiado) deste exemplar de Melro-preto (Turdus merula L.) merece divulgação, segundo o editor. Esta ave, muito abundante em Portugal, e residente habitual nos parques e jardins das nossas cidades, é classificada como pertencendo à Ordem: Passeriformes; Família: Turdidae; Subfamília: Turdinae; Género: Turdus; Espécie: Turdus merula.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Proveniência da Imagem e data: Almada - Parque da Paz; 06-01-2009.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo)

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

O Corvo-marinho-de-faces-brancas (nome científico: Phalacrocorax carbo L.) é uma ave invernante em Portugal, embora também haja referências a avistamentos em outras épocas do ano. Não é, no entanto, considerada com ave nidificante em Portugal (v. Atlas das aves nidificantes em Portugal, recentemente publicado). Pertence à Ordem: Pelecaniformes; Família: Phalacrocoracidae; Género: Phalacrocorax; Espécie: Phalacrocorax carbo.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante"
Local e data da captação das fotografias:
Fotos 1, 2 e 3 : Almada - Parque da Paz; 09-12-2008;
Fotos 4 e 5 : Almada - Estuário do Tejo; 05-12-2008;
Foto 6: Sertã; 22-12-2008.
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Felosa-comum (Phylloscopus collybita)



(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

Felosa-comum (nome científico: Phylloscopus collybita Vieillot). É uma ave invernante em Portugal, onde não nidifica. No Outono e no Inverno é, no entanto, muito comum, como tenho tido oportunidade de confirmar. Pertence à Ordem: Passeriformes; Família: Sylviidae; Género: Phylloscopus; Espécie: Phylloscopus collybita.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Local e data: Parque Central de Almada; 17-12-2008

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Petinha-dos-prados (Anthus pratensis)

(1)

(2)

(3)

A Petinha-dos-prados (nome científico: Anthus pratensis L. ) é uma ave pertencente à Ordem: Passeriformes; Família: Passeridae; Género: Anthus; Espécie: Anthus pratensis.
É uma ave insectívora e migradora só observável em Portugal nos meses do Outono e do Inverno, pois nidifica nos países do norte da Europa e da Ásia e, designadamente, na Grã-Bretanha, onde é conhecida pelos nomes de Meadow Pipit e Titlark.
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
Proveniência das imagens: Almada: Parque da Paz (foto 1) e Parque Central de Almada: (fotos 2 e 3);
Datas: 11-12-2008 (foto 1) e 20-12-2008 (fotos 2 e 3)
(Para ampliar, clicar sobre as imagens)

sábado, 3 de janeiro de 2009

Chamariz (Serinus serinus)

Chamariz e Milheirinha são os nomes comuns mais vulgares atribuídos a esta ave com o nome científico de Serinus serinus L. e que pertence à Ordem: Passeriformes; Família: Fringillidae; Género: Serinus; Espécie: Serinus serinus.
É comum em toda a Europa e também em Portugal, onde é considerada uma espécie residente.
Estatuto de conservação da espécie: Pouco preocupante.
Local e data da fotografia: Parque da Paz - Almada; 12-12-2008

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Garça-branca-pequena (Egretta garzetta)








(Para ampliar, clicar sobre as imagens)


Já aqui foi dedicada, anteriormente, uma mensagem à Garça-branca-pequena (Egretta garzetta L). A obtenção de novas imagens, talvez um pouco melhores, justificam, julgo eu, o retorno ao tema.
(Imagens obtidas na vila da Sertã, em 22-12-2008)