quarta-feira, 20 de março de 2019

Bico-de-lacre (Estrilda astrild)




Bico-de-lacre ou Bico-de-lacre-comum (Estrilda astrild L.) 
Esta pequena ave (com 11 a 13 cm de comprimento; 12 a 14 cm de envergadura de asas e com o peso de 7 a 10 gr.) é originária da África subsariana, tendo sido introduzida em Portugal nos anos 70 do século passado  e com tanto sucesso, que já se encontra estabelecida no país  uma numerosa população selvagem.
FamíliaEstrildidae;
Habitat: esta ave tem alguma preferência por zonas húmidas, mas adapta-se com facilidade a diversos ambientes, podendo até encontrar-se em locais próximos de habitações, suportando mesmo a situação de cativeiro. Em liberdade é frequentemente avistada em bandos;
Alimentação: a espécie é granívora, alimentando-se de sementes e de outros vegetais, embora possa incluir, esporadicamente, insectos na sua dieta.
Reprodução: Cada postura vai de 3 a 5 ovos e a incubação dura entre 11 a 13 dias. Após a eclosão dos ovos, as crias permanecem no ninho durante cerca de 3 semanas;
Estatuto de conservação da espécie: "Pouco preocupante".
(Local e data do avistamento: Parque da Paz - Almada; 20 - Março - 2019)
(Clicando nas imagens, amplia)

1 comentário:

Fernando Ribeiro disse...

Esta ave era extraordinariamente comum na faixa litoral de Angola, em altitudes variando entre o nível do mar e os 1000 metros, talvez, ou pouco mais. Era tão comum como os pardais em Portugal. No interior de Angola, que é quase todo planáltico, não se encontra.

Muitas pessoas, em Luanda e não só, tinham gaiolas no quintal com algumas dezenas de bicos-de-lacre, que eram criados por causa da sua vivacidade e da sua cor. É muito provável que alguns retornados as tenham trazido para cá em 1975.